Agronegócio


Preencha o formulário para receber conteúdos sobre esse assunto

Agronegócio

O Brasil é um país com vocação natural para o agronegócio devido às suas características e diversidades, principalmente encontradas no clima favorável, no solo, na água, no relevo e na luminosidade. Com seus 8,5 milhões de km é o país mais extenso da América do Sul e o quinto do mundo com potencial de expansão de sua capacidade agrícola sem necessidade de agredir o meio ambiente.

O Agronegócio no Brasil tem uma expressiva participação na economia do país e representa aproximadamente 22,15% do PIB em 2012. Atualmente o país ocupa notável posição mundial na produção agroindustrial. O Brasil é atualmente o primeiro produtor mundial de café, açúcar e laranja, segundo produtor mundial de soja e primeiro exportador mundial de carne bovina e de aves. O Ministério da Agricultura prevê que na safra 2015/16, a produção mundial de soja alcançará 277 milhões de toneladas (+27% sobre a safra 2005/2006). A produção tornar-se-á mais concentrada: em 2015/16, os três maiores produtores (Argentina, Brasil e Estados Unidos) representarão 85% da produção mundial.

Os dados não deixam dúvidas: há uma grande janela de oportunidades para o Agronegócio brasileiro. O mundo expandirá o consumo de grãos em 441 milhões de toneladas nos próximos 10 anos, 7,4 milhões de toneladas de carne bovina e 38 milhões de toneladas de leite fluído. Ainda que sejam crescimentos menores do que nos últimos 10 anos, trata-se, sem dúvida, de um grande desafio. Desse total 16% poderá ser fornecido pelo Brasil, o que aumentaria nossa safra para quase 270 milhões de toneladas e a gaúcha para 42. Embora o consumo interno deva aumentar, a demanda externa deverá crescer muito mais devido ao baixo ritmo de nossa economia frente ao que ocorre no mundo, em especial na Ásia e na África.

Para os próximos anos o fator dinâmico do crescimento será a produtividade. Na produção de grãos (soja, trigo, arroz, feijão e milho), a área plantada deve se expandir de 44,4 milhões de hectares na safra 2005/06 para 51,4 milhões de hectares em 2016/17, havendo portanto um aumento de 15,8%. O acréscimo de produção deverá ser de 28,5%.

Os resultados das projeções de grãos (Arroz, Feijão, Milho, Soja e Trigo) mostram que em 2016/2017 o Brasil terá uma produção de 148 milhões de toneladas, superior em 27% em relação a 2005/2006. Trigo, soja e milho lideram o aumento de produção em termos relativos. Quanto às carnes, o aumento de produção projetado para 2017 é de 44,7%, sendo que o aumento relativo mais expressivo se dará na carne de frango. Em quantidade produzida de carnes, o montante projetado para 2017 é de 31,4 milhões de toneladas, representando um acréscimo de 10 milhões de toneladas em relação a 2005/06. Mas esse crescimento precisa enfrentar barreiras como a queda da produção cafeeira e o próprio ministério admite em seu relatório que “a falta de apoio a tecnologias implicará perda de competitividade e de mercado internacional e menor remuneração ao agronegócio. Sem defesa eficiente e crescentes barreiras às exportações, tem-se, como consequência, perda do dinamismo do agronegócio”. Para o BRI Group este é um dos setores promissores para 2016, entre em contato para conhecer melhor sobre nossos investidores e negócios.

Baseados em três pilares essênciais, SERIEDADE, SOLIDEZ e TRANSPARÊNCIA, agregamos valores através de nossas expertises financeira, administrativa e organizacional.